Radio Utopia Player

“Never Too Old”, A estreia voltaica dos Bless The Mess

Os lisboetas Bless the Mess são a prova viva de que o rock nacional está de boa saúde e recomenda-se. Na linha de uns compatriotas The Lazy Faithful ou Eat Bear, o quarteto estreia-se com o voltaico “Never Too Old”, num agitado diálogo entre pratos, baixo e guitarra eléctrica.

O tema assinala o primeiro lançamento da banda através do selo da Music For All e antecede a edição de um EP esperado no segundo trimestre deste ano.

Os Bless the Mess são um quarteto de rock lisboeta formado por Tiago Cabral (voz e teclas), Miguel Pimenta (guitarra), Alex Silva (baixo) e Jorge Varandas (bateria), que recolhe influências provenientes de géneros como o classic e hard rock e do metal.

Formados em 2013, nos tempos de escola, passaram por uma mudança de alinhamento no momento de gravação do seu primeiro EP, com a saída de um dos guitarristas, sendo que desde então compuseram de novo as suas fileiras e ganharam calo ao vivo ao tocar em eventos como o Rock ‘n’ Roll Fucking Fest na República da Música ou em espaços como o Tokyo Lisboa.

Prosseguindo na rota ascendente e evolutiva que têm traçado, em 2017 assinam com a Music For All, através da qual editarão um novo trabalho esperado no segundo trimestre do ano.

Ouvir Aqui

Emma Ruth Rundle a 20 de Abril no Sabotage

A cantautora norte-americana Emma Ruth Rundle sobe ao palco do Sabotage Club, em Lisboa, no dia 20 de Abril, para apresentar «Marked for Death», numa estreia em solo nacional há muito aguardada.

Encontramos na folk taciturna de Emma Ruth Rundle uma esperança difusa, talvez até impercetível ao primeiro contacto, mas resoluta; uma luz ténue que percorre os intervalos de uma neblina de distorção e de uma tempestade de corações quebrados, de sufocos existenciais, de sentimentos de perda e de derrota.
 
É em «Marked for Death», o mais recente trabalho, que esta luz tímida transparece de forma mais firme na discografia de Emma Ruth Rundle, transformando-o num instrumento de auto-conhecimento e de catarse. Se Some Heavy Ocean, o disco de estreia, se apoiava maioritariamente em cândidos lamentos folk, em Marked for Death há um adensar da sonoridade, com camadas de guitarra distorcida que sobem à tona para sublinhar a emoção crua e sem artifícios que Rundle comunica nas suas composições.

Ouvir aqui

Ana Free apresenta videoclipe para California

Ana Free apresentou ontem o videoclipe para California, single que sucede a Killing Kind e a Say It To Me, extraídos do último EP – The Weight of The Soul – lançado em 2016.

California é uma canção que se destaca pela história que retrata e pela forma como foi produzida. O produtor, Rodrigo Crespo, pediu que a demo desta canção fosse gravada em estúdio num só take mas como a gravação correu tão bem, acabou por ser usada desta forma e sem edição final. É este pormenor que faz com que a musicalidade do tema California se torne tão único – por um lado o facto de ter sido uma gravação espontânea e por outro lado, pela forma como absorve a essência de uma atuação ao vivo.

O video, realizado pelo argentino Mariano Dawidson, foi filmado, ele também, num só take numa roda gigante em Los Angeles. Por um lado, os tons e as cores frias do video marcam uma tendência artística característica do trabalho de Ana Free, por outro lado, o contraste entre o parque de diversões e o visual mais obscuro da artista reflete os conflitos retratados nesta canção.

Ouvi Aqui

Os Polegar apresentam EP de estreia

João Gomes, Rui Rosa, Tiago Cordeiro e Tomás Branco Gonçalves, são o grupo pop proveniente da cidade de Torres Novas. Em 2015 não conseguiram vencer o "I Concurso de Bandas Nova Música", nem completar todas as cadeiras da faculdade. No encerrar de 2016, a alegria é outra e vêem ser editado pela Azul de Tróia o primeiro registo fonográfico da carreira principiante, qual peteca de badminton esvoaçando pelo pavilhão gimnodesportivo.

O "Assalto À Residência" (AT019) foi gravado e misturado no Promontório, pelas mãos do Tiago Brito. A arte gráfica ficou a cargo do Henrique Salgueiro e não podia servir melhor o propósito. A produção da banda e a supervisão deste trabalho foi assumida pelo Pedro de Tróia.

A edição física de "Assalto À Residência" estará à venda no concerto de apresentação, dia 9 de Dezembro, no Musicbox (Lisboa). Os Polegar são uma das três bandas convocadas para a primeira "Galopante Festa", os bilhetes estão à venda e o essencial está aqui.

Ouvir Aqui

Por motivos de...

Squeeze Theeze Pleeze apresentam o EP "Mais Fácil"

25 de novembro em formato digital

Quem não se lembra do hit single "Ode To A Child (Bea)", que fez furor nas rádios nacionais e pôs o país a cantar Squeeze Theeze Pleeze, ou o "ataque" das bolas brancas e vermelhas "STP" no Festival Paredes de Coura, os poderosos concertos nas Queimas das Fitas, Semanas da Juventude, Festivais de Verão e primeiras partes de artistas internacionais de renome como Morphine, Cranberries, Alanis Morissette entre outros... Sim, isso tudo faz parte do já credenciado percurso musical dos Squeeze Theeze Pleeze!

14 anos volvidos com mais 3 discos pelo meio, músicas nas principais telenovelas nacionais e um sem número de espetáculos...

2016 marca o regresso dos Squeeze Theeze Pleeze com o EP “Mais Fácil”.

“Mais Fácil” é o single de apresentação e o único tema em português deste novo trabalho de temas inéditos.

 

”Blind By Choice” é o sinlge de estreia dos Zuuzaa

Novembro é o mês que marca a estreia do novo projecto sensação da música nacional. Os Zuuzaa revelam “Blind By Choice”, um tema ritmado que mantém viva a alma e a mensagem do bom e velho blues rock, extraído do álbum de estreia, “MARA”.

Graças ao selo da Music For All o projecto de Rafael Ribeiro, Inês Carvalho, Mariana Matoso, Rafaela Pereira, Bernardo Jorge e Matt Seybald chega finalmente ao mercado português, sendo esta a mais recente aposta de um extenso leque de artistas, e bandas, com provas dadas em Portugal e no estrangeiro.

O ano de 2016 marca a estreia de um dos projectos mais promissores da actualidade. São portugueses, dão pelo nome de Zuuzaa e propõem uma infusão de Rock, Blues e Soul com particular destaque para um coro feminino que nos transporta para os saudosos anos 60.

Após um intenso período criativo Rafael Ribeiro, guitarrista e vocalista, assumiu a árdua tarefa de formar uma banda que desse corpo, vida e sentimento às canções por si habilmente escritas. Primeiro muniu-se da doce voz de Inês Carvalho, sua amiga de longa data. Depois da talentosa dupla Mariana Matoso e Rafaela Pereira. Este distinto trio, de vozes marcadamente femininas, começou por colaborar numa só faixa. Contudo, rapidamente, se tornou perceptível que parte da magia da banda residia na alma, garra e emoção que as três davam às canções de Rafael Ribeiro. Foi com esta formação, que os então intitulados Zuuzaa & The Last Jesters, viram finalizadas as suas dez primeiras composições originais.

Com a entrada do baixista francês Matt Seybald e do baterista Bernardo Jorge a banda ganhou experiência e versatilidade, enriquecendo o seu trabalho em estúdio assim como a performance em palco. Graças aos contributos dos novos membros o número de temas originais subiu para 13 e o mês de Setembro marcou a estreia nos palcos nacionais.

Depois do lançamento do primeiro álbum de originais, intitulado “MARA”, está a decorrer o processo de gravação dos videoclips dos primeiros singles. Esta é também a fase em que surgem mais concertos e performances ao vivo, alimentando assim a paixão pelo palco, e pelo contacto directo com o público, espalhando a música, e a mensagem, por detrás de tão astutas criações.

Ouvir Aqui

João Caetano estreia projecto a solo em português

Músico da banda inglesa Incognito

Trata- se do projecto musical a solo do cantor e percussionista João Caetano de 27 anos, jovem talento da Moderna Lusofonia.

O projecto, que assenta numa cultura de “preservação da tradição popular Portuguesa”, reinventa a tradição - aliando harmoniosamente tradição e modernidade. Valorizando a estética moderna, João Caetano levará a palco a sua voz ao sabor de temas originais e uma variedade de instrumentos onde se incluem os Bombos e a Guitarra Portuguesa.

João Caetano apresenta este novo projecto em Portugal já no próximo mês de Dezembro.

Ouvir Aqui

Margarida Pinto (Coldfinger) está de volta

“BENDITA ERA EU” É O PRIMEIRO ORIGINAL EM 7 ANOS

O tema “Bendita era Eu”, primeiro avanço do álbum a ser editado em 2017, com produção entregue a Frederico Pereira, traz-nos uma Margarida envolvida em ambientes pop electrónicos tão actuais quanto sofisticados, a cruzar assumidamente a língua portuguesa com uma sonoridade musical global. O videoclip, realizado por José Pedro Sousa, já está disponível.

Margarida Pinto levanta assim o véu sobre o seu terceiro trabalho de originais em tom de recomeço, com um percurso marcado por uma transformação pessoal e criativa que não poderia deixar de se reflectir no novo disco. “Apontamento”, o primeiro álbum a solo de Margarida Pinto, editado em 2005, apresentou-nos uma Margarida de voz melódica e de ambiente jazzístico e poético, registo que viria a ter continuidade no EP “A Aprendizagem” de 2009, num percurso que começou emprestando a voz aos ambientes trip-hop dos Coldfinger.

Ouvir Aqui

 Ghost Hunt - "Games" é o primeiro single

"Games" é o single de avanço do primeiro trabalho de um dos mais interessantes projectos musicais portugueses dos últimos anos.

02 Dez / VALE DE CAMBRA / Associação Vale de Pandora

03 Dez / AVEIRO / Aveiroshima

07 Dez / LISBOA / Sabotage - 23h

O novo projecto de Pedro Oliveira, ex-Spider, Blarmino, e Pedro Chau, baixista dos The Parkinsons, apresenta finalmente o seu álbum de estreia, conjunto exemplar de temas construídos à volta de sintetizadores e guitarras, exercício estético de acumulação e transfiguração de inúmeras referências musicais. O single de apresentação chama-se "Games" e já tem vídeo. A banda chega a Lisboa, no dia 7 de Dezembro, para concerto de apresentação no Sabotage.

Ouvir Aqui

Pág. 1 de 3
Go to top